Cotaçao da Bolsa

PSI 20 5.721,630 -56,570 -0.98%     DAX Xetra 5.967,200 +52,360 +0,890%     IBEX 35 8.975,500 +32,000 +0,360%     FTSE 100 5.466,360 +62,980 +1,170%     Dow Jones Industrial Average 11.644,490 +166,360 +1,450%     NASDAQ-100 (DRM) 2.371,940 +45,060 +1,940%     S&P 500 INDEX 1.224,580 +20,920 +1,740%     S&P 500 INDEX 1.224,580 +20,920 +1,740%     MIB 30 0,000 N/A N/A     NIKKEI 225 8.747,960 -75,290 -0.85%     Hang Seng Index 18.501,789 -256,021 -1.36%     DJ Euro Stoxx 50 2.355,480 +22,960 +0,980%     BOVESPA 55.030,449 +429,380 +0,790%     AEX 302,410 +5,020 +1,690%     All Ordinaries Index 4.269,000 -37,000 -0.86%     AMEX 555,949 +16,609 +3,080%     BEL20 2.203,040 +22,810 +1,050%     IPC 34.848,422 +263,672 +0,760%     Refresh a cada 5 minutos...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

MT: Em 2011, aves ultrapassam bovinos

MARIANNA PERES

O carro chefe das exportações estaduais continua sendo o complexo soja, que sozinho, responde por 62,74% do total de negócios acumulados até novembro deste ano. No entanto, as vendas de cortes de aves superaram pela primeira vez na história as vendas de cortes bovinos. Como observa o economista da PR Consultoria, Carlos Vitor Timo Ribeiro, foram 196 mil toneladas de aves exportadas para 163,07 mil de carne bovina. O complexo carnes segue como terceiro maior produto da pauta estadual, atrás do milho.

O complexo soja registra negócios de US$ 6,43 bilhões, com alta de 29,6% na receita para apenas 0,9% em volume físico, em comparação ao acumulado de 2010. Os destaques ficam para o grão e óleo, com valorizações de valores em 37,8% e 63,2%, respectivamente. O segundo produto mais vendido até novembro é o milho com 15,19% de participação no total estadual, cuja receita soma US$ 1,55 bilhão, valorização de 53,7% em valor e alta de 5,3% em volume embarcado. O complexo carnes, com participação de 12%, soma US$ 1,23 bilhão, alta de 21% em valor e de 3,3% em volume. Os cortes bovinos tiveram valorização de 17% e redução de 8,6% no volume. As aves ascenderam em mais de 46% a receita e em 25% em volume. Suínos, que desde junho amargam o peso do embargo imposto pela Rússia, fecham o período com queda de 48% no faturamento de 47% nos embarques.

Timo Ribeiro faz menção às vendas de açúcar, aumentadas em 74% em relação ao volume físico embarcado no mesmo período de comparação do ano passado (janeiro a novembro). Como aponta, a valorização das cotações no exterior elevaram a receita em quase 129%, totalizando US$ 12,10 milhões em negócios. As boas cotações se estenderam ao algodão. As vendas acumulam saldo de US$ 620,82 milhões, o que representa valorização de 69% e incremento de 29,7% nos volumes exportados.

DESTINO – A Ásia segue como maior parceiro, responsável por cerca de 51% dos negócios realizados no período. Deste bloco econômico se destaca a China, que responde sozinha por US$ 3,27 bilhões dos US$ 5,23 bilhões realizados pelo continente. A União Europeia ampliou em 124% as compras e responde por 45,84% do total exportado pelo Estado, que soma negócios de US$ 2,20 bilhões. A Holanda (Países Baixos) se mantém como a principal porta de entrada da pauta estadual, com compras de US$ 893,40 milhões. Em terceiro maior destino por blocos, está o Oriente Médio, cuja participação no total é de 9,26%, mas com negócios incrementados em 54% no intervalo de um ano. O bloco soma compras de US$ 950,28 milhões e tem o Irã como maior comprador, sozinho respondeu por mais da metade do comércio, com US$ 589,29 milhões.

Relacionando apenas os países que mais importam a pauta estadual estão: China, Holanda, Tailândia, Irã e Espanha.

Diário de Cuiabá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

8pt; text-decoration: none">